Relato de caso: MCCQE1

Olá pessoal! Finalmente estou de volta pra ressucitar o blog depois de um longo tempo ausente. E o tema de hoje é: MCCQE1.

MCCQE1.pptx

Quando eu resolvi vir pro Canadá confesso que virar médica aqui nem estava muito nos meus planos. Eu estava tão determinada (e desesperada) em  sair do Brasil que eu estava topando qualquer coisa, mesmo que isso incluísse não praticar a medicina. Quem acompanha o blog já deve ter visto por aqui que eu vim fazer um mestrado em Health Science na UBC. No início eu estava até “conformada” que eu iria ficar trabalhando com pesquisa clínica. Mas depois de chegar aqui fui conhecendo um monte de gente incrível e fui vendo que apesar de ser um processo longo e difícil, é possível.

A realidade é que quando estamos no Brasil, não temos muita informação disponível, e a pouca informação na maioria das vezes é desencorajadora. Mas pra quem quer vir para o Canadá praticando a medicina lá vai  meu conselho: não desista, porque é possível sim! 

Na minha humilde opinião esses são os 3 primeiros passos principais:

  1. Fazer a verificação do seu diploma médico no physicians apply (clique aqui para saber como)
  2. IELTS academic com score minimo de 7 em cada componente (leia aqui)
  3. Fazer o MCCQE1 (saiba mais sobre a prova aqui)

Eu comecei a estudar pras provas de validação uns 6 meses depois que cheguei aqui, quando vi que todo esse processo era possível e que eu realmente não queria deixar de praticar a medicina (confesso que não foi fácil essa decisão). Inicialmente eu ia fazer o MCCEE, mas depois que eu soube que ele deixaria de existir, achei que não valeria a pena, então eu cancelei o MCCEE que estava marcado para setembro de 2018. Ai eu dei um tempo nos estudos e retomei no finalzinho de 2018 com um grupo de estudos maravilhosos de médicos brasileiros que estão aqui em Vancouver. Eramos seis ao todo e nos reuníamos todo sabado pra estudar. Eu vou fazer um outro post falando sobre como se preparar para a prova. Aqui eu quero mesmo é dividir minha experiência com vocês de como foi o MCCQE1. 

Pra começar, uma dica que uma amiga me deu e eu quero compartilhar aqui e: nao va com uma calça com muitos bolsos! Parece bobagem, mas você não pode entrar na sala com nada (nem brincos, pulseira, cordão, no máximo aliança), nem água. Se você quiser beber água ou ir ao banheiro, você tem que sair da sala de prova. E toda vez que você volta, você tem que ser revistado. E você tem que mostrar cada bolso, virando pra fora. Então só por uma questão de economizar tempo caso você saia da sala, quanto menos bolsos melhor! 

A prova é dividida em duas etapas: na parte da manhã o candidato tem 4 horas para resolver 210 questões múltipla escolha. Assim que você submete suas respostas, aparece um timer na tela que te dá 45 minutos de intervalo. É super importante você prestar atenção nesse tempo, porque depois de 45 minutos a segunda parte da prova começa, mesmo se você não estiver na frente do computador. E se você voltar um pouco antes, nao tem como começar antes. Realmente tem que esperar os 45 minutos. Na parte da tarde são 38 casos, alguns deles só com uma questão, outros com mais. Ao todo são cerca de 65 questões na parte da tarde.

QUESTOES MULTIPLA-ESCOLHA

Como falei, são ao todo 210 questões pra responder em 4 horas. Conheço algumas pessoas que acharam que o tempo quase não fui suficiente, que acabou a prova faltando pouquíssimos minutos pra terminar as 4 horas. Sinceramente pra mim tempo não foi um problema, terminei faltando 30 minutos pra acabar. Acho que isso depende muito de cada um, mas sem dúvida treinar fazendo questões ajuda bastante.

As questões eram bem diretas, enunciados curtos, não teve nada com textão. Os sinais vitais e resultados de exames eram apresentados em uma tabelinha, então era fácil visualizar. Os valores de referência dos resultados laboratoriais eram apresentados entre parênteses, de cara você já sabia se estava alterado ou não. 

De maneira geral não achei as questões difíceis. Óbvio que eu não sabia todas as respostas, mas não porque eram super difíceis, era porque ou eu não tinha estudado aquele tema ou porque eu não lembrava mesmo. Achei uma prova bem justa. 

Na minha prova caiu de tudo um pouco… se eu fosse dizer sobre algo que caiu menos eu diria cirurgia. Mas teve de tudo: ped, GO, cirurgia, psiquiatria, medicina preventiva, reumato, endocrino, hemato, ética. Alias, a parte de ética cai MUITO. Pra quem está estudando pras provas canadenses tem que estudar muito a parte de ética. No próximo post eu vou dar umas dicas de onde encontrar material. 

 

QUESTOES CLINICAL DECISION MAKING (CDM)

Na parte da tarde a gente tem 3 horas pra fazer as questões. O tempo foi mais que suficiente, dá pra fazer com bastante calma. Os enunciados também são curtos e objetivos, não teve nada extremamente difícil. Questões bem coerentes. 

Nessa etapa, existem 2 tipos de questões:

  • Ele te da um monte de opções, como se fosse múltipla-escolha porém com mais de 5 respostas. No enunciado ele te diz quantas opções no máximo você pode marcar. Varia de uma resposta apenas até 10 respostas, por exemplo. O legal de fazer o simulado do site do MCC é que você entende como essas questoes sao corrigidas. Ele as vezes te pede pra selecionar no máximo 4 opções, por exemplo, mas só uma delas (ou as vezes 2 ou 3) é a correta. Você não perde ponto se marcar as outras. Mas você só ganha a questão se selecionar a que eles consideram a resposta certa. Não sei se fui clara… e como se fosse assim: ele fala que você pode marcar até 5, ou seja ele te dá 5 chances de você escolher a resposta certa, mas no final só tem uma resposta certa. Mas como eu falei, tem questões que ele espera que você marque duas opções como certas. Você só perde ponto se marcar uma opção que eles consideram como “perigosa” pro paciente. Exemplo, se tem um caso de um paciente dessaturando, instável e você escolhe a opçao “nao fazer nada, apenas observar” aí você perde a questão. Mas se você marcar outras opções alem do gabarito oficial, não tem problema. você ganha a questão também. Resumindo: você só perde aquela questão se você não marcar as respostas que eles consideram como gabarito oficial ou se você escolher uma resposta que eles consideram inadequada/perigosa para aquele cenário. 
  • O outro tipo de questão é discursiva, mas bem direta e objetiva. Tem questões que eles pedem só uma resposta, em outras eles pedem até 3 ou 4. Assim como nas questões de marcar, tem vezes que apesar deles pedirem ate 3 respostas, eles só consideram uma como a certa. Isso é bom porque te dá mais chance de acertar. Você só erra a questão se não colocar a resposta esperada por eles ou se colocar uma resposta considerada “perigosa” para o paciente. Nesse tipo de questão discursiva, eles te pedem desde a diagnóstico a manejo do paciente. Nada muito difícil, são questões bem objetivas e coerentes.

Se vocês quiserem saber mais detalhes de como e essa segunda parte da prova, sugiro dar uma olhada no site do MCC e fazer o simulado completo, que dá as respostas.

Resumindo, essa prova não é um bicho de sete cabeças. Você tem que estar bem preparado, lógico, assim como você tem que estar preparado pra fazer as provas de residência no Brasil. Estudar clínica, GO, cirurgia, pediatria, medicina preventiva (Canadense, lógico), psiquiatria e muita, muita ética. Não pense que é impossível pois não é. No próximo post eu dou dicas de como se preparar para essa prova.

Se você quer vir pro Canadá continuando a exercer a profissão de médico, saiba que é possível! Com tempo, organização e dedicação você consegue!

2 comentários em “Relato de caso: MCCQE1

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: